Castanhas: um punhado de sementes e saúde para a hora do lanche

13 Out

Você sabia que ao contrário do que se diz por aí, além de não engordar oleaginosas, popularmente conhecidas como castanhas, ainda podem trazer um bem danado para a nossa saúde? Pois é. Se consumidas em pequenas quantidades amêndoas, nozes, castanhas-de-caju, castanhas-do-Pará, avelãs e amendoins podem trazer benefícios que a gente nem imagina para a nossa alimentação e, consequentemente, para o nosso corpo. Perfeitos para os lanchinhos entre as refeições, os snacks da vez possuem alta concentração de gorduras boas – as monoinsaturadas (mesmas do azeite de oliva), responsáveis por eliminar as moléculas de colesterol das artérias e nos proteger de infartos e derrames. Além disso, já existem estudos que até relacionam o ácido graxo presente nas castanhas ao emagrecimento, principalmente da região abdominal. Dá para acreditar?

 
Outro benefício bacana são as propriedades antioxidantes das castanhas: elas têm boa quantidade de selênio e vitamina E. Sem falar que possuem também porções de minerais como fósforo, magnésio e zinco, além de serem ricas em arginina, que ajuda a dilatar os vasos e melhorar a imunidade. Maravilha, né? Entre as mais conhecidas, e consumidas, estão as nozes – não vale em formato de docinho, viu? O fruto da nogueira sozinho é fonte de magnésio, indispensável para combater o cansaço e resguardar os ossos. Já as amêndoas ajudam a reduzir o LDL, o colesterol ruim. A castanha-de-caju é a campeã em gorduras monoinsaturadas e é rica em fósforo, que ajuda a prevenir a osteoporose, e potássio, que regula o ritmo dos batimentos cardíacos. E a castanha-do-pará (ou castanha do Brasil) é excelente fonte de selênio – uma castanha contém a recomendação diária deste mineral.

Tá, mas não vá se empolgar e sair devorando as nuts como doida por aí. O ideal é consumir apenas uma pequena quantidade, cerca de 30g por dia, e um combinado de dois ou mais tipos de oleaginosas, para usufruir dos benefícios e não pesar na balança. O consumo em excesso destes alimentos pode desencadear inclusive alergias. E cuidado com o armazenamento: para conservar por mais tempo, coloque em um recipiente fechado, de preferência escuro, dentro da geladeira, evitando a oxidação das gorduras.

 

*Imagens: reprodução